banner

banner

news

news

Receba nossa postagens e fique sempre por dentro das novidades!

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Cigarro Eletrônico ou adesivos de Nicotina?



Muito se fala sobre os Cigarros Eletrônicos...já ouvi de tudo um pouco, a grande maioria de opiniões logo se vê que são provenientes de pessoas que não fumam, nunca fumaram e sempre foram contra o tabaco!

De um lado especulações de pessoas que levantam a bandeira anti-fumo desde que se entendem por gente. Não querem e nem se interessam em entender para que realmente foi criado o Cigarro Eletrônico, e do outro, grandes investidores que logicamente não querem parar de encher os seus cofres em cima daqueles que diariamente contribuem para tal finalidade na compra do MAÇO DE CADA DIA!

Ao contrário do que muito se fala, o Cigarro Eletrônico não vem para perpetuar o vício ou para atrair novos adeptos ao fumo e sim, vêm exatamente para o contrário! 

O Cigarro Eletrônico foi criado na China com o objetivo de se oferecer um método mais eficaz para àqueles que vivem tentando incessantemente se livrar do mal e que não encontram no mercado um método que consiga fazê-los largar do tabagismo.



Somente 2% das pessoas conseguem parar de fumar sem qualquer apoio. Para as pessoas que são dependentes, isto é, que fumam mais de 10 cigarros por dia e que acendem o primeiro cigarro logo ao acordar, fornecer algum medicamento chega a dobrar suas chances de parar de fumar. Há duas classes de medicamentos com eficiência comprovada:

1- Os anti-depressivos utilizados para aplacar as crises de abstinência, vou citar os mais conhecidos e vendidos, o Zyban e o Champix, remédios vendidos somente com prescrição médica e que acarretam inúmeras reações adversas para o usuário. Pesquisas revelam que tais medicamentos funcionam para alguns e para outros não! Há ainda dados que apontam para o fato de que muitos param de fumar e quando cessam com a medicação, voltam a fumar como loucos!

2- A terapia de reposição de Nicotina que fornece ao paciente dose da substância mais viciante do cigarro (NICOTINA) sem o risco das substâncias presentes nele que são mais nocivas,  como o alcatrão e o monóxido de carbono. Assim ajuda a reduzir as crises de abstinência, retirando a nicotina aos poucos e ajudando no processo para parar de fumar. 



Entre os métodos disponíveis para a TRN, o que tem maior adesão é o adesivo de nicotina, por apresentar menos efeitos adversos e desagradáveis. Mas existem também métodos como o chiclete de nicotina, a pastilha de nicotina e o spray nasal de nicotina.

Para quem já fez tratamento para parar de fumar com Cardiologistas ou Psiquiatras, sabe que todos eles ministram os dois métodos concomitantemente, ou seja, ao mesmo tempo. Sabem por quê?



Porque não se pode tirar a nicotina de um usuário de uma hora para outra, pois o risco de uma crise de abstinência forte é muito grande e quanto maior a crise de abstinência, menor as chances do usuário prosseguir com o tratamento retornando ao vício.




Agora vamos colocar uma lupa sobre o Cigarro Eletrônico!



Seu principal objetivo é redução de nicotina, com o uso dos e-liquidos que são fabricados de 0mg a 24mg de nicotina, funciona como uma terapia de reposição, você inicia com uma dosagem, de acordo com sua necessidade de nicotina  e vem aos poucos reduzindo o seu uso.



Nos seus e-liquidos, não é encontrado substâncias cancerígenas como o cigarro convencional  e por ser um aparelho eletrônico, não produz fumaça e sim vapor! 



O líquido é aquecido pela resistência que libera o vapor, que para o fumante, causa a sensação psíquica de que ele está realmente fumando.

Ora, o usuário se liberta das substâncias mais nocivas encontradas no cigarro e também do monóxido de carbono,  principal causador de doenças respiratórias, circulatória e cardíaca. 



E lógico, todos que o cercam, também! É o fim do fumante passivo.

Leiam o que foi publicado na veja.abril.com.br em MAIO/2015:



"Um estudo publicado nesta terça-feira, por exemplo, concluiu que os cigarros eletrônicos ajudam uma pessoas a parar de fumar com mais eficácia do que adesivos e chicletes de nicotina. A pesquisa, feita por especialistas da Universidade College London, na Grã-Bretanha, acompanhou cerca de 6 000 fumantes durante cinco anos. Segundo os resultados, a chance de parar de fumar foi de 60% maior entre os participantes que usaram cigarro eletrônico em comparação com os que recorreram a terapias de reposição de nicotina (adesivos ou chicletes)."



O fato de você ir reduzindo a nicotina associada ao ato de fumar, uma vez que, o aparelho produz até vapor, a crise de abstinência também é diluída pelo ato capturado pelo seu próprio cérebro. É como você estar mudando a marca do seu cigarro aos poucos, vai do forte para o mais fraco, gradativamente, não sentindo crise de abstinência. A ideia é realmente genial!



Se você está tentando parar de fumar e procurando uma alternativa, não deixe de experimentar. Acredito realmente que você irá contribuir para as estatísticas da eficácia do Cigarro Eletrônico aumentar!



E se quiser dicas sobre tipos de Cigarros Eletrônicos, como usá-los, manutenção e sobre peças de reposição, está no local certo. Fica com a gente e acompanhe nossas postagens!



Boa Sorte!